Como Beber Vinho

Muitas pessoas têm dúvida sobre como beber vinho. Ao contrário do que alguns pensam, existe todo um universo a ser analisado e apreciado em relação a essa bebida.

No entanto, é importante saber que não são só profissionais que podem usufruir de todos os elementos da mesma. Com ou sem conhecimento, qualquer pessoa pode conhecer melhor esse mundo.

Portanto, esse artigo funcionará como um guia completo sobre como beber vinho. Acompanhe os tipos de bebidas, análises, harmonização e seja empoderado a beber do seu jeito. Vamos lá.

Por que muita gente não gosta de beber vinho?

Para muitas pessoas o vinho remete a um alto investimento e uma série de elementos que o tornam “complicado demais”. Por muitos anos a bebida foi tida como uma referência para o público mais cult.

Isso gerou uma série de preconceitos e estigmas que não passam de um falso estereótipo. Primeiro de tudo, qualquer pessoa pode sim gostar de vinho. E também, ele nem sempre é caro, sendo possível encontrar rótulos de qualidade por um bom preço.

Então, nada de achar que esse universo é chique demais e que você não faz parte dele. Um outro ponto que leva muita gente a não gostar de beber vinho é a primeira experiência.

Se você não curte algo muito forte, provar um vinho tinto logo de cara pode não ser tão legal. Não se preocupe, dentre as categorias de vinhos, existem inúmeras opções que se adéquam a diferentes paladares.

O fato de você não ter gostado de um vinho não significa que todos os outros serão ruins. Acredite, vale a pena experimentar.

design-sem-nome-(24)-(1)_optimized

Por onde começar?

Se você tem interesse em começar a compreender melhor essa bebida e suas peculiaridades, e está um pouco perdido, calma. Aqui nós abordaremos alguns tópicos que são necessários para uma boa degustação.

No entanto, é importante que você saiba de cara que existe mais de um tipo de vinho. Conheça eles logo abaixo.

  •           Tinto;
  •           Branco;
  •           Rosé;
  •           Espumantes;
  •           Fortificados;
 

Quando pensar em qual desses comprar? Vai muito do seu gosto. Partindo de um princípio onde você nunca experimentou nenhum, vale a pena começar pelos mais leves. O vinho branco pode ser uma boa pedida. 

Em seguida, é possível ir testando novos sabores. Agora, digamos que você não tem a menor ideia de como degustar um vinho. Não se preocupe, o próximo tópico vai te deixar por dentro de tudo. Acompanhe.

Como beber vinho: degustação

Todo o processo de degustação é responsável por criar um ambiente mais agradável entre você e a bebida. É uma experiência única e que pode ser diferente para cada pessoa.

Nesse artigo nós abordamos detalhes que vão te ajudar a degustar de forma mais técnica. No entanto, você não precisa seguir regras. O ideal é se aventurar e conhecer as possibilidades. Pode ter certeza que sua experiência será cada vez melhor.

Ainda assim, na maioria das vezes, ao adquirir um vinho, o rótulo do mesmo já pode vir com alguns spoilers. Isso porque a opinião de algum sommelier pode estar estampada.

No entanto, o ideal é não se deixar levar por uma crítica e provar por si só. Quem sabe sua opinião não é diferente? 

Sendo assim, agora você vai conhecer mais a fundo esse universo. Para começar, é importante ressaltar que as etapas de degustação são 3: análise visual, olfativa e gustativa.

Essas três etapas são as mais comuns, porém, ainda existem tipos de degustação temática e com focos distintos. Mas calma, vamos conhecendo uma coisa de cada vez.

A Análise Visual

A primeira coisa que você deve fazer para dar início a essa etapa, é separar uma taça transparente. Tenha em mente que as coloridas não permitem que você visualize muito bem.

Em seguida, basta servir a dose ideal para a degustação. Caso sua taça esteja muito cheia, você terá uma série de dificuldades. Uma delas é que o movimento de inclinação será limitado, de forma que a tonalidade não poderá ser analisada. Então, o ideal é que 1/3 da taça seja preenchida apenas.

Um outro fator que merece atenção é a iluminação. É ideal que a degustação de vinho aconteça em um ambiente com luz branca.

Desse modo, uma dica é posicionar sua taça com vinho em um fundo branco. Feito isso, é só segurar a haste e inclinar para frente. Assim, você consegue observar bem a tonalidade do seu vinho. É legal tentar identificar a presença de sedimentos e o brilho do mesmo.

Esse é um dos elementos fundamentais para quem quer saber como beber vinho. E isso não é tudo, você sabia que a cor dessa bebida pode mudar? Isso é bem comum na realidade.

Assim, os vinhos brancos iniciam em um tom mais amarelo-esverdeado, mas com o passar do tempo, eles mudam para uma cor dourada. Já os tintos começam com cores escuras, e vão clareando até chegar a um tom de laranja.

Aspecto olfativo e sua importância

Ele surge com mais força no momento em que você gira a sua taça de vinho. Esse movimento vai trazendo à tona notas aromáticas que antes talvez você não conseguisse identificar. A ideia é observar se há qualquer mudança nos aromas após a oxigenação.

Sendo assim, alguns vinhos se caracterizam por apresentarem seus aromas de maneira mais lenta. Tudo vai depender do tempo e do contato da bebida com o oxigênio.

Por essa razão que o movimento giratório é importante. É ele quem facilita o processo de levar os aromas para a região superior da taça. Só assim é possível realizar uma análise completa da bebida.

Como realizar uma boa análise gustativa

Nesse tipo de análise, os elementos principais são o corpo, dulçor, acidez, amargor e o álcool. Ao experimentar o vinho, é interessante buscar identificar a intensidade desses elementos. Assim, sua análise gustativa será bem mais completa.

A acidez é um dos pontos mais importantes que você deve prestar atenção ao degustar sua bebida. É ela quem garante que a mesma está agradável.

Assim, quem dita a acidez é a uva utilizada e a forma como o vinho foi fabricado. Percebe o quão importante isso é na hora de aprender a como beber vinho? Isso vale para os brancos. Quando se fala de tintos, além dessa variável, outra é inserida, o tanino.

Ele é uma substância que a uva produz naturalmente. Se ao beber um vinho você sente um ressecamento na boca (adstringência), saiba que os taninos que estão causando isso. 

Além disso, o vinho funciona muito bem quando harmonizado com água. No entanto, é necessário certa atenção quanto a isso. Veja como fazer esse processo da maneira correta a seguir.

Como beber vinho: harmonização com a água

Logo de cara é importante que você tenha em mente que pode beber a água que quiser. De novo, o ideal é sempre experimentar as possibilidades. As orientações aqui não são regras. 

No entanto, para você conhecer um pouco mais sobre os aspectos técnicos saiba que nem toda água é igual. Parece estranho, mas existem alguns tipos de água que não são inodoras, nem insípidas e muito menos incolores.

Dessa forma, a escolha da mesma faz total diferença na hora de degustar seu vinho. No mercado você encontra mais de um tipo dessa bebida (com gás ou sem), de modo que é necessário ter atenção.

Então, o melhor tipo de água é o que combina com as propriedades do seu vinho. Como descobrir isso? Aí é na base do teste. É necessário fazer uma análise de aroma e sabores, de modo a encontrar o produto ideal.

Assim, uma boa harmonização só será possível quando a intensidade do vinho e da água forem semelhantes. Acompanhe algumas dicas logo abaixo que vão te ajudar nessa tarefa. Você vai perceber que cada tipo de vinho requer uma água com características distintas.

Um pequeno spoiler  sobre a água. O indicado é que você a tome durante a degustação. Também, a cada taça nova, é interessante beber um pouco de água. Isso vai dar uma amenizada no paladar e prepará-lo para receber um novo sabor. 

Vinhos tintos

Já para bebidas com uma acidez mais forte, é interessante que a água siga o mesmo padrão. Ou seja, ela deve ser um pouco ácida e bem concentrada. Ainda, é importante que ela tenha minerais e gás. Assim, as papilas gustativas são limpas mais facilmente.

Agora, você já sabe exatamente como degustar um vinho. Para te ajudar ainda mais, acompanhe algumas atitudes que você não deve pôr em prática durante esse processo. 

Vinhos brancos e roses

Para bebidas desse tipo que não possuem um nível alcoólico tão elevado, a água deve ser mais leve possível. O ideal é que ela possua uma baixa concentração de minerais em sua composição. Então, uma água sem gás é a melhor opção.

O que não fazer na hora de degustar seu vinho?

Existem alguns erros que muitas pessoas cometem na hora de degustar essa bebida tão especial. Apesar de comuns, eles podem ser facilmente evitados. Portanto, fique atento a essa lista abaixo.

Escolher um vinho pelo seu vedante

Dentre as crenças que existem sobre como beber vinho, está a de que tampa de rosca não promove qualidade. Claro que isso não é verdade, sendo que muitos deles se igualam aqueles que são vedados com rolha.

Contudo, a rosca é muito eficaz no processo de vedação da garrafa. Ela torna a entrada de oxigênio mais difícil. E também, garante que o vinho não evolua e consiga se manter assim por um bom tempo.

Portanto, não tenha medo de comprar vinhos que venham com rosca. Isso não diz nada sobre a qualidade deles. Vale a pena saber também que as rolhas naturais têm sua devida importância.

Assim, elas são mais recomendadas para vedar os vinhos que precisam evoluir, envelhecer até atingir seu auge ideal. Isso porque com o passar dos anos, esse material permite que o oxigênio entre aos poucos na garrafa. Desse modo, tem-se uma etapa de envelhecimento acontecendo a longo prazo.

Selecionar um vinho com base no rótulo ou garrafa

No mesmo contexto de escolher um vinho com base no vedante, esse aqui é outro erro cometido por muitas pessoas. Um rótulo interessante ou um formato diferente não vão implicar em uma bebida de qualidade.

Dessa forma, ainda que você admire o trabalho artístico criado para o produto, existem outras coisas mais importantes. A primeira delas, para comprar algo de fato bom, é comprar no lugar certo e ser bem aconselhado.

Não compre vinhos sem ter ideia do que está comprando. As chances de você se arrepender são muito maiores. Então, saiba que aparência de rótulo não deve ser determinante para sua compra.

Colocar muito vinho em uma taça

Para muitas pessoas além de atrapalhar o processo de degustação, essa é uma prática não tão elegante. Como já falamos mais acima, o ideal é que você preencha 1/3 da sua taça.

Além disso, se você servir muito vinho de uma vez, a tendência é que o mesmo saia da temperatura mais indicada. Já sabemos o que acontece, não é mesmo? E ainda, a probabilidade que essa bebida acabe desperdiçada é maior do que quando servida com moderação.

Muito vinhho taca

Negligenciar a harmonização

Tenha em mente que, combinar comida e vinho é uma arte. Ela toma como base o estudo das interações químicas entre esses elementos. Mas calma, você não precisa saber disso. Basta compreender que esse é um dos processos mais importantes dentro da degustação.

Assim, o objetivo da harmonização é que seja encontrado um equilíbrio. Isso porque um bom vinho pode acabar com o sabor de um prato, de modo que o contrário também prevalece.

Por essa razão, a gastronomia é sempre levada muito a sério pelos famosos sommeliers. Dependendo do vinho que você escolher, é possível harmonizá-lo com um pão, carne, azeite, queijos e por aí vai.

Dessa forma, não existe uma regra. No entanto, essa combinação deve ser pensada para que o prato escolhido se adeque as propriedades da sua bebida. Muitos locais que oferecem degustação cuidam dessa etapa para que você só se preocupe em apreciar o vinho.

Servir essa bebida sem tomar cuidado em manter a temperatura ideal

Esse é um dos erros que mais acontecem. Muitas pessoas podem achar que a temperatura do vinho não é algo importante. Porém, ela é um aspecto que pode favorecer bastante a sua experiência com a bebida.

Ainda, alguns acreditam que o vinho deve ser degustado à temperatura ambiente. No entanto, esse conceito irá variar a cada local, já que segundo especialistas, o ideal para que um vinho seja bem servido é estar em temperatura de até 18ºC. Já o espumante, o indicado é de 6 a 8ºC.

Se você provar um vinho muito gelado, perceberá que identificar sabores será muito mais complicado. Quanto mais baixa a temperatura, mais os taninos e o amargor irão aparecer.

Já ao beber a uma temperatura de 25 ºC ou mais, se prepare. Isso porque nessa condição o álcool fica bem mais à tona a quem o aprecia.

Adicionar gelo no vinho

Todo o processo de fabricação do vinho é bastante laborioso e demanda tempo. Até que sejam atingidas as concentrações ideias, são muitas horas perdidas. Você não quer estragar isso colocando gelo no seu vinho, certo?

Pense bem, isso é a mesma coisa que diluir sua bebida com água. Além de não parecer apetitoso, isso afeta o aroma, o equilíbrio, a concentração e outros fatores extremamente importantes. Claro, a não ser que você esteja bebendo um espumante ice.

Desse modo, jamais cometa esse erro, ainda que esteja começando a descobrir como beber vinho. Caso ache que o mesmo está quente, dê uma resfriada com um balde de gelo ou coloque-o rapidamente na geladeira.

Segurar a taça na parte do bojo

Mesmo que não haja exatamente regra unânime sobre como segurar a sua taça de vinho, algumas orientações de etiquetas podem ajudar a não fazer feio quando for apreciar.

O mais recomendado é que você segure pela haste. Além de deixar a postura mais elegante, ajuda a prevenir pequenos acidentes, como derramar sua bebida e ainda, evita sujar o bojo da taça.

Além disso, esse pequeno detalhe ainda é responsável por manter a temperatura do vinho. Afinal, o mesmo quando em contato com a mão, aquece com mais facilidade.

Esses aspectos mais técnicos não precisam ser seguidos à risca. Sendo assim, caso queira segurar a taça na parte do bojo, tudo bem. Só lembre-se que o vinho irá esquentar e você pode não desfrutar dele ao máximo.

Combinar o vinho com outras bebidas fortes

Também esse é um dos erros mais comuns. Quando se está degustando um vinho, a adição de qualquer outra bebida tem influência direta sobre o sabor do mesmo.

Então, se por acaso você ingere outra bebida que possui aromas e sabores bem fortes, seus sentidos estarão prejudicados. Assim, todo o processo de sentir os componentes do vinho não será possível de ser realizado.

Além disso, combinar esse último com outras bebidas pode não ser tão agradável. Isso porque ele muitas vezes acaba evidenciando sabores que antes não seriam perceptíveis.

Desse modo, evite sempre ingerir destilados, ou até mesmo café. Quer tomar vinho acompanhado de outra bebida? Peça um bom copo de água. Essa sim é a combinação perfeita.

Lembre-se sempre, essas são apenas recomendações. Você é quem decide como apreciar seu vinho. Apenas tome cuidado para que possa usufruir de toda essa experiência.

Servir vinho na sequência incorreta

Se você está em um ambiente onde há diversos tipos de vinho, saiba que você pode experimentar todos eles. Se não sabe por onde começar, não se preocupe. Existe uma sequência que é sugerida para que sua degustação seja a melhor possível. Veja abaixo.

Com base no nível de doçura:

  •           Secos
  •           Meio secos;
  •           Doces.

Com base no corpo:

  •           Leve;
  •           Médio corpo;
  •           Encorpados.

 Com base no tipo:

  •           Espumantes;
  •           Brancos;
  •           Roses;
  •           Tintos.

Pronto, seguindo essa ordem, fique tranquilo que sua experiência não será afetada. Com ela, você respeita todos os elementos que devem ser apreciados nessa bebida.

Armazenar a bebida indevidamente

Uma das primeiras coisas a se aprender quando se quer saber como beber vinho. É essencial que você não deixe o mesmo em locais que recebam fontes de calor. Assim, cozinhas, varandas e próximo a janelas, são exemplos de locais inapropriados.

Dessa forma, o ideal é que você tenha as famosas Adegas. Elas oferecem o ambiente e temperatura corretos para que a bebida mantenha sua qualidade. Porém, se você não tiver esse produto, armazene em locais que não têm luz solar direta, protegidos do calor e de produtos com cheiros fortes, tipo materiais de limpeza.

A temperatura correta de conservação do vinho é de 16ºC. Lembre-se que quanto mais calor o mesmo recebe, maior será a velocidade que ele irá  estragar.

Ainda, a umidade é um fator importante. Se seu recipiente for vedado por uma rolha, ele deve ser guardado em um lugar com umidade relativa entre 65%-70%. Isso evita o vazamento da bebida.

 

Uma outra dica é comprar uma adega portátil. Dessa forma, você consegue evitar a proliferação de mofo e ainda, garante um armazenamento de qualidade. Caso isso não seja possível, apenas busque guardá-lo na horizontal, em uma superfície segura e longe do calor.

Abrir a garrafa para que o vinho possa respirar

O contato com o ar acaba acelerando ainda mais o processo de oxidação dessa bebida. Portanto, sempre que possível evite essa interação. Em contrapartida, para alguns tipos de vinhos, a exposição ao oxigênio, por um certo tempo, pode trazer benefícios.

Dessa forma, a etapa de envelhecimento deles é atingida mais rápido. E por consequência, suas melhores características são evidenciadas. Porém, lembre-se, não são todos os tipos que se encaixam nesse padrão.

A prática de deixar a bebida respirar, é mais voltada para vinhos mais velhos. No caso dos mais jovens, é só abrir a garrafa e desfrutar ao máximo. 

Negligenciar a harmonização

Tenha em mente que, combinar comida e vinho é uma arte. Ela toma como base o estudo das interações químicas entre esses elementos. Mas calma, você não precisa saber disso. Basta compreender que esse é um dos processos mais importantes dentro da degustação.

Assim, o objetivo da harmonização é que seja encontrado um equilíbrio. Isso porque um bom vinho pode acabar com o sabor de um prato, de modo que o contrário também prevalece.

Por essa razão, a gastronomia é sempre levada muito a sério pelos famosos sommeliers. Dependendo do vinho que você escolher, é possível harmonizá-lo com um pão, carne, azeite, queijos e por aí vai.

Dessa forma, não existe uma regra. No entanto, essa combinação deve ser pensada para que o prato escolhido se adeque as propriedades da sua bebida. Muitos locais que oferecem degustação cuidam dessa etapa para que você só se preocupe em apreciar o vinho.

Presumir que todo vinho bom é caro e vice versa

Ainda que pareça estranho, muitas pessoas pensam dessa maneira. No entanto, o preço não tem relação direta com a qualidade da bebida. Claro, existem exceções.

No entanto, você não precisa gastar uma grande quantia para tomar um bom vinho. Quem irá definir qual tipo é o melhor para você, é seu próprio gosto. Pode ser que uma garrafa cara não te surpreenda tanto quanto uma com um valor mais acessível.

Desse modo, o único jeito de saber é testando. Experimente a maior diversidade de vinhos que estiver ao seu alcance. Assim, você conhece a fundo esse universo de sabores que eles podem te proporcionar.

Como beber vinho: dicas de etiqueta

Muitas pessoas gostam de fazer as coisas da maneira mais elegante possível. Se você for assim, fique tranquilo. Acompanhe essas dicas que vão te ajudar a conquistar esse título de elegância facilmente.

Manuseando a garrafa

Jamais pegue a mesma pelo gargalo. Isso porque a garrafa pode escorregar e você terá um pequeno acidente com bebida desperdiçada. O ideal é segurar no meio do recipiente.

Servindo o vinho

Se você for servir a bebida, certifique-se de que a boca da garrafa e a taça não estão em contato. Isso não é nada elegante e pode incomodar algumas pessoas.

Trocando a taça

Digamos que você terminou de degustar um vinho e pretende experimentar outro. O ideal é que você sempre troque as taças entre essas etapas. 

Assim, você garante que as bebidas não se misturem, o que pode afetar sua experiência final. Agora, caso não queira trocar de taça, basta passar água nela e você resolverá o problema.

Comece sua experiência pelo mundo do vinho

E então, está pronto para adentrar nesse universo cheio de possibilidades? Aqui abordamos os tipos de vinho, como fazer uma boa análise e harmonização.

Por fim, esse foi o guia mais ou menos completo sobre como beber vinho. Lembre-se de tudo o que foi dito e dos erros mais comuns cometidos pelos entusiastas dessa bebida. O mais importante, claro, se divirta degustando da maneira que mais lhe agrada.  Agora é com você!

Como beber vinho: dicas de etiqueta

Muitas pessoas gostam de fazer as coisas da maneira mais elegante possível. Se você for assim, fique tranquilo. Acompanhe essas dicas que vão te ajudar a conquistar esse título de elegância facilmente.

Manuseando a garrafa

Jamais pegue a mesma pelo gargalo. Isso porque a garrafa pode escorregar e você terá um pequeno acidente com bebida desperdiçada. O ideal é segurar no meio do recipiente.

Servindo o vinho

Se você for servir a bebida, certifique-se de que a boca da garrafa e a taça não estão em contato. Isso não é nada elegante e pode incomodar algumas pessoas.

Trocando a taça

Digamos que você terminou de degustar um vinho e pretende experimentar outro. O ideal é que você sempre troque as taças entre essas etapas. 

Assim, você garante que as bebidas não se misturem, o que pode afetar sua experiência final. Agora, caso não queira trocar de taça, basta passar água nela e você resolverá o problema.

Comece sua experiência pelo mundo do vinho

E então, está pronto para adentrar nesse universo cheio de possibilidades? Aqui abordamos os tipos de vinho, como fazer uma boa análise e harmonização.

Por fim, esse foi o guia mais ou menos completo sobre como beber vinho. Lembre-se de tudo o que foi dito e dos erros mais comuns cometidos pelos entusiastas dessa bebida. O mais importante, claro, se divirta degustando da maneira que mais lhe agrada.  Agora é com você!

Scroll Up